A alergia é uma reação do organismo a algum agente, que pode se tratar de microrganismos, poeira, sujidade, medicamentos, alimentos, animais ou insetos. Um mecanismo em que o sistema imunológico utiliza para defender o corpo de substâncias possivelmente nocivas.

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), cerca de 35% da população brasileira tem alergia. A doença é a quinta maior causa de internações no SUS. Uma em cada 3 pessoas ao redor do mundo sofre com algum tipo de alergia.

Como a maioria dos indivíduos apresenta ou já apresentou algum tipo de alergia de forma mais branda, é comum que muitas pessoas acreditem que a alergia não é algo grave, mas a mesma pode variar de intensidade de uma pessoa para a outra e levar a sérias consequências, inclusive à morte. As alergias não estão diretamente relacionadas à um quadro de imunidade baixa.

A alergia pode se manifestar por sintomas respiratórios, cutâneos, gastrointestinais e outros.

Alguns sintomas de alergia podem ser:

Dermatológicos: lesões em diferentes locais do corpo, como: placas avermelhadas acompanhadas de coceira, ardência, bolhas, dor e inchaço;

Respiratórios: irritação na garganta, rouquidão, espirros, tosse contínua e persistente, coriza, dores de cabeça, respiração sibilante, falta de ar, sensação de sufocamento e insuficiência respiratória;

Gastrointestinais: náuseas, vômitos, cólicas abdominais e diarreia.

Quais cuidados podem ser adotados para a alergia?

– Mantenha um acompanhamento de saúde regular com a realização de exames;

– Estabeleça uma rotina de hidratação corporal com cremes neutros e com aplicações regulares ao longo do dia, principalmente após o banho;

– Se você tem alergia respiratória ou de pele, prefira não fazer uso de perfumes ou cosméticos;

– Em casos de alterações dermatológicas, evite se coçar, pois este ato pode causar maiores lesões na pele, inflamações ou até mesmo infecções;

– Evite banhos demorados, com água muito quente, pois causam desidratação da pele;

– Aumente o consumo de água (consuma pelo menos 2 litros ao dia);

– Procure fazer inalação e lavar as narinas com soro fisiológico;

– Evite permanecer em locais fechados ou empoeirados, porque isso facilita a propagação de vírus, como o da gripe, e aumenta o risco de desenvolvimento de uma crise alérgica;

– Permaneça em locais ventilados, limpos e amplos, que permitam a melhor circulação do ar;

– Mantenha sua casa sempre limpa e bem ventilada, evitando o uso de tapetes e cortinas;

– Caso você possua algum tipo de alergia alimentar, consulte sempre os rótulos dos produtos antes da compra e consumo;

– A amamentação ajuda a evitar o desenvolvimento de alergias em bebês (o leite materno passa para o bebê imunoglobulinas, dentre outras proteínas e vitaminas que vão atuar, fortalecendo o sistema imunológico da criança);

– Antes de fazer uso de qualquer medicamento para alergia procure um médico para avaliação e indicação do tratamento correto. Não pratique a automedicação.

Cuide-se. A vida é melhor sem alergia!