A obesidade já é considerada uma epidemia e um grande problema de saúde pública em todo o mundo. A obesidade infantil é definida pelo excesso de peso em crianças com até 12 anos.

A obesidade não permanece somente na infância, pois estudos revelaram que quatro, em cada cinco crianças, permanecerão obesas quando estiverem adultas, isto porque 75% delas possuem chances de se tornarem adolescentes obesos e 89%, de se tornarem adultos com obesidade. Estima-se que cerca de 12,9% das crianças em nosso país, de 5 a 9 anos, estão obesas.

O ganho de peso pode ocorrer devido à presença de diversos fatores, como: hábitos alimentares (tanto da criança, quanto da família), fatores genéticos, sedentarismo, alterações psicológicas e hormonais (como o excesso de insulina ou deficiência do hormônio do crescimento) e o estilo de vida familiar.

Você sabia?!

Pesquisas revelaram que quando um dos pais da criança é obeso, ela possui um risco de 50% de chance de sofrer com o aumento de peso e quando ambos são, o risco aumenta para quase 100%.

Crianças com obesidade podem sofrer com o surgimento de outras alterações de saúde, como: aumento da pressão arterial, diabetes, alterações cardíacas e do crescimento (malformações do esqueleto), dores articulares e alterações psicológicas.

Para a prevenção do ganho de peso na infância, podemos adotar algumas medidas, como:

  • Manutenção de uma alimentação balanceada, rica em frutas, legumes e verduras;
  • Monte um prato colorido, dessa forma, a variedade de alimentos garante que mais vitaminas e minerais sejam adquiridos pelo organismo;
  • Elaborar um prato com a ajuda da criança, auxilia na aceitação dos alimentos e estimula a descoberta de sabores, cheiros, textura e criatividade;
  • Evitar o consumo excessivo de bebidas açucaradas, doces, frituras, fast foods, enlatados, demais alimentos ultraprocessados e biscoitos recheados;
  • Dê preferência para a oferta e consumo de alimentos e líquidos naturais;
  • Respeitar os horários de realização das refeições e não dar guloseimas entre os intervalos;
  • Realizar atividades físicas, com a orientação de um profissional que direcione para a prática de exercícios seguros para cada idade;
  • Incentivar que a criança prefira brincadeiras que aumentem a movimentação, como: pular corda, andar de bicicleta, pique-esconde, pega-pega e amarelinha;
  • Buscar reduzir o tempo de utilização de aparelhos eletrônicos, como: videogame, celular e televisão;
  • Manter boa hidratação através do incentivo ao consumo de água e sucos naturais (preferencialmente, sem açúcar);
  • Incentive que toda a família mantenha hábitos de saúde saudáveis;
  • O aleitamento materno na infância traz benefícios relacionados ao controle de peso.

 Alimente uma infância consciente!