No dia mundial do combate à AIDS, devemos reforçar a solidariedade e a tolerância, conscientizando a população sobre a doença AIDS e infecção por HIV.

A Infecção pelo vírus HIV é um problema grave de saúde a nível global, já que, segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde), 35 milhões de pessoas já perderam a vida por causa da doença.

A AIDS é uma doença causada pelo vírus HIV, que quando manifestada pode acometer o nosso sistema imunológico atacando e destruindo as células linfócitos TCD4+, que é responsável pela defesa no nosso organismo.

Já o HIV é um retrovírus, capaz de causar vários tipos de Infecção Sexualmente Transmissível, que são transmitidas, principalmente, por meio do contato sexual.

Observação: Vale lembrar, que ter HIV não é a mesma coisa que ter a AIDS. O indivíduo pode ter o vírus e não manifestar a doença, porém pode contaminar outras pessoas.

E como ocorre a transmissão?

A transmissão do HIV e, por consequência da AIDS, pode acontecer das seguintes maneiras:

  • Relações sexuais sem preservativo;
  • Uso de seringa por mais de uma pessoa, que apresenta comportamento de risco;
  • Transfusão de sangue contaminado;
  • Durante a gestação, se mãe infectada não realizar o acompanhamento adequado para reduzir a contaminação vertical do feto;
  • Instrumentos que perfurocortantes, compartilhados e que não são esterilizados.

Sinais e sintomas

Os primeiros sintomas são muito parecidos com os de uma gripe ou resfriado, como febre e mal-estar, por isso, na maioria dos casos pode ser passar despercebido.

Com o frequente ataque, as células de defesa começam a funcionar com menos eficiência até serem destruídas. O organismo fica cada vez mais fraco, e vulnerável a infecções comuns, devido à baixa da imunidade, ocorrendo o aparecimento de doenças oportunistas, que se aproveitam da fraqueza e menor eficácia de sistema imunológico para se desenvolver.

Dicas de prevenção

A melhor maneira para se prevenir contra o vírus HIV, é reduzindo as chances de exposição ao vírus, por isso é de extrema importância, conhecer sobre a patologia e colocar em prática as formas de prevenção a seguir:

  • Realize o teste Anti-HIV periodicamente e mantenha o acompanhamento preventivo com seu médico habitual;
  • Faça o uso de preservativos masculinos ou femininos do início ao fim do ato sexual;
  • Não compartilhe seringas, em circunstância nenhuma;
  • Cuidado com o compartilhamento de objetos perfurocortantes, que não são esterilizados;
  • Atenção, durante transfusões sanguíneas, somente em locais com certificados e material sanguíneo testado;
  • Tenha práticas saudáveis de vida, cuide de você, alimente-se bem, exercite-se e evite situações de risco para a contaminação do vírus HIV.

“O autocuidado é a melhor medida para a prevenção do HIV”