O inverno chegou… e com o tempo frio, o metabolismo do corpo humano acelera para tentar compensar a temperatura externa, por isso a imunidade tende a diminuir, deixando o organismo mais vulnerável a algumas doenças, como:

  • Resfriados;
  • Gripes;
  • Rinite alérgica;
  • Sinusite;
  • Bronquite;
  • Asma;
  • Pneumonia;

Além de problemas cardíacos e até mesmo alterações de humor, como mais ansiedade, depressão e irritabilidade. A atenção deve ser redobrada nas crianças e idosos para prevenção destas doenças.

Em caso de sintomas como coriza, febre, tosse seca e dor muscular por mais de 48 horas, é importante buscar um médico de sua confiança.
Porém, é fundamental a prevenção e não descuidar de sua saúde para curtir despreocupado o inverno. Confira abaixo algumas dicas para evitar alguns desconfortos da estação:

  • Beba água;
  • Pratique exercícios físicos;
  • Mantenha uma alimentação equilibrada e redobre o consumo de alimentos fonte de vitamina C, como laranja, mexerica, limão;
  • Lave as mãos frequentemente, a frequência na higienização das mãos é ação poderosa contra as doenças de inverno. Finalize aplicando o álcool gel;
  • Mantenha a carteirinha de vacinação atualizada, principalmente a imunização contra a gripe;
  • Se agasalhe, assim você evita mudanças bruscas de temperatura;
  • Redobre a atenção com sua pressão arterial, principalmente se apresentar alterações nos níveis pressóricos, pois as baixas temperaturas geram oscilações na pressão, por isso é importante manter uma alimentação hipossódica e acompanhar os níveis diariamente;
  • Manter o ambiente sempre higienizado, evitando a proliferação de poeira e mofo;
  • Deixe o ar circular pela casa todos dias. Isso ajuda a eliminar possíveis alergênicos, bactérias e vírus presente no ar.
  • Use climatizador de ar ajuda a melhorar a qualidade do ar do ambiente. Caso não seja possível utilizá-lo, use um balde com água no chão do ambiente ou toalhas molhadas, pois tem o mesmo efeito e não deixa com que o ar da casa fique seco;
  • Por fim, evite a automedicação, procure sempre um especialista médico para o diagnóstico e a prescrição correta.