O dia nacional do controle da asma é celebrado no dia 21 de junho. Data coincide com o início do inverno, por isso é fundamental alertar e orientar a população sobre a doença. As alterações climáticas, ar frio, maior ocorrência de infecções virais comuns na estação, contribuem para a piora do quadro respiratório, aumentando os riscos para crises e complicações da asma.

Você sabe o que é asma?

Asma é uma doença inflamatória crônica das vias aéreas. Em momento de crise, os brônquios se inflamam e reduzem a passagem de ar, causando os sintomas de tosse, falta de ar, chiado e aperto no peito. Os sintomas geralmente, pioram à noite e nas primeiras horas da manhã ou em resposta à prática de exercícios físicos, à exposição a alérgenos, à poluição ambiental e a mudanças climáticas.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), estima-se, que há pelo menos 300 milhões de pessoas que sofrem de asma ao redor do mundo. No Brasil, há cerca de 6,4 milhões de pacientes.

Diversos fatores genéticos e ambientais podem ocasionar a asma. Dentre os ambientais, os mais comuns são: a exposição à poeira e barata, aos ácaros e fungos, às variações climáticas e infecções virais. Já os genéticos, destacam-se o histórico familiar de asma ou rinite e obesidade, tendo em vista que pessoas com sobrepeso têm mais facilidade de desencadear processos inflamatórios, como a asma.

Sintomas e Complicações

Para um diagnóstico exato, é imprescindível realizar o acompanhamento com o seu médico habitual e/ou especialista pneumologista. Ele irá solicitar exames funcionais para o pulmão, para definição de um diagnóstico assertivo.

Os principais sintomas são:

  • Tosse seca;
  • Chiado no peito;
  • Dificuldade para respirar;
  • Respiração rápida e curta;
  • Desconforto torácico.

Todos estes sintomas podem aparecer juntos ou isoladamente.

Quais são as possíveis complicações da asma?

A asma pode desencadear uma série de processos que podem resultar em complicações, algumas graves. As principais complicações da asma são:

  • Capacidade reduzida de se exercitar ou fazer outras atividades;
  • Insônia;
  • Alterações permanentes no funcionamento dos pulmões;
  • Tosse persistente;
  • Dificuldade para respirar, a tal ponto que precise de ajuda (ventilação);
  • Hospitalização e internação por ataques severos de asma;
  • Efeitos colaterais de medicações usadas para controlar a asma.

Tratamento

Asma tem cura?

A asma não tem cura, mas com o tratamento adequado, os sintomas podem melhorar e até mesmo, desaparecer ao longo do tempo. É fundamental fazer acompanhamento médico correto e constante. A maioria das pessoas com asma pode levar uma vida absolutamente normal.

Como prevenir a asma?

Sim, é possível controlar as crises e até prevenir que elas aconteçam. Veja abaixo, algumas medidas simples:

  • Mantenha o ambiente sempre limpo, evitando o acúmulo de sujeira ou poeira;
  • Tome sol. A vitamina D está relacionada a uma série de doenças do aparelho imunológico como a asma;
  • Evite cheiros fortes, como pesticidas e perfumes;
  • Tome a vacina da gripe;
  • Não fume;
  • Se agasalhe, principalmente na época de frio;
  • Pratique atividades físicas regularmente;
  • Tenha alimentação saudável;
  • Beba bastante líquido (água);
  • Mantenha o peso ideal.