Além da conscientização referente a prevenção da doença, a data vem para lembrar as pessoas que o direito à saúde é muito mais do que o acesso a serviços de saúde e medicamentos de qualidade, que a saúde também depende de uma série de garantias importantes, incluindo saneamento e habitação adequados, condições de trabalho saudáveis, ambiente limpo e acesso à justiça. Se o direito da pessoa à saúde é comprometido, muitas vezes, ela não consegue efetivamente prevenir doenças, incluindo o HIV, ou ter acesso ao tratamento e aos cuidados. As pessoas mais marginalizadas da sociedade, incluindo profissionais do sexo, travestis, transexuais, pessoas que usam drogas injetáveis, gays e outros homens que fazem sexo com homens, pessoas nas prisões e migrantes, geralmente são menos capazes de acessar seu direito à saúde e eles também são os mais vulneráveis ao HIV.

 

Você sabia que 36,9 milhões de pessoas em todo mundo vivem com HIV?

O HIV é o vírus causador da aids, que ataca o sistema imunológico, responsável por defender o nosso organismo de doenças.

As células mais atingidas são os linfócitos T CD4+. E é alterando o DNA dessa célula que o HIV faz cópias de si mesmo e depois de se multiplicar, rompe os linfócitos em busca de outros para continuar a infecção.

E como pega o HIV?

  • Sexo vaginal, anal e oral sem camisinha;
  • Uso de seringa compartilhada;
  • Instrumentos que furam ou cortam não esterilizados (ex: alicate de unha);
  • Mãe infectada passa para o filho durante a gravidez, no parto e amamentação.

Ter HIV é a mesma coisa que que ter aids?

Não!

Existem muitos soropositivos que vivem anos sem apresentar sintomas e sem desenvolver a doença! Mas atenção! Essas pessoas podem transmitir o vírus para outras pessoas!

Conhecer o quanto antes a sorologia positiva para o HIV aumenta muito a expectativa de vida de uma pessoa que vive com o vírus. Fazer o teste com regularidade, buscar tratamento no tempo certo e seguir as recomendações da equipe de saúde, se ganha muito em qualidade de vida!

Por isso, se você passou por uma situação de risco, como ter feito sexo desprotegido ou compartilhou seringas, faça o teste anti-HIV. O diagnóstico da infecção pelo HIV é feito a partir da coleta de sangue ou por fluido oral.

No Brasil, existem exames laboratoriais e os testes rápidos, que detectam os anticorpos contra o HIV em cerca de 30 minutos. Esses testes são disponibilizados e podem ser realizados gratuitamente:

– Sistema Único de Saúde (SUS);

– Unidades da rede pública;

– Centros de Testagem e Aconselhamento (CTA).

 Fique ligado! Em qualquer dúvida procure um desses locais!

Você também pode ligar para o Disque Saúde (136) e ter informações dos locais onde podem ser realizados os testes!

Fazer o acompanhamento médico e seguir corretamente o tratamento é muito importante!

E assim? Pega?

  • Sexo (usando corretamente a camisinha);
  • Beijo no rosto ou na boca;
  • Aperto de mão ou abraço;
  • Suor, lágrima e saliva;
  • Picada de inseto;
  • Talheres/copos;
  • Assento de ônibus;
  • Piscina e banheiro;
  • Sabonete/toalha/lençóis.

Não! Assim não pega!

 A prevenção é a melhor forma do combate contra o vírus do HIV

  • Realizar o teste anti-HIV periodicamente e manter o acompanhamento médico;
  • Fazer uso do preservativo masculino / feminino do início ao fim do ato sexual;
  • Conscientizar-se quanto ao não preconceito a pessoa portadora do vírus;
  • Não compartilhar seringas em nenhuma situação;
  • Inicie seu tratamento o quanto antes! O uso dos medicamentos antirretrovirais e um estilo de vida mais saudável, dieta equilibrada e exercícios físicos regulares, te ajuda a manter-se mais saudável, pois o seu sistema imunológico estará preservado.

Estima-se mundialmente que, 21,7 milhões de pessoas tiveram acesso a terapia antirretroviral em 2017!

 Os Sinais e Sintomas

Fase aguda (incubação)
Período que varia de três a seis semanas, os sintomas são como o da gripe (febre e mal-estar).

Fase sintomática
Caracterizada pelos sintomas: febre, diarreia, suores noturnos e emagrecimento.

Com a baixa imunidade, começam a aparecer as doenças oportunistas, por se aproveitar da fraqueza do organismo e se instalar, e são elas: hepatites virais, tuberculose, pneumonia, toxoplasmose e alguns tipos de câncer.

 O Tratamento!

Os medicamentos antirretrovirais (ARV) surgiram na década de 1980 e servem para impedir a multiplicação do HIV no organismo. Além disso, esses medicamentos ajudam a evitar o enfraquecimento do sistema imunológico.

Vantagens de fazer o tratamento corretamente

  • Aumenta o tempo e a qualidade de vida das pessoas que vivem com HIV;
  • Reduz o número de internações e infecções por doenças oportunistas;
  • Mães que vivem com HIV, tem 99% de chance de terem filhos SEM o HIV.

ATENTE-SE! O uso irregular dos antirretrovirais, ou seja, a má adesão ao tratamento, acelera o processo de resistência do vírus aos medicamentos.

 Fazer uma alimentação diversificada e nutritiva é muito importante para a manutenção do Sistema Imunológico! Atente-se sempre a higienização correta dos alimentos crus e cozimento adequado das preparações, priorize o consumo de:

Alimentos fonte de proteínas: frango, peixe, ovos, lentilha, feijões, grão de bico e cortes magros de carne vermelha;

Frutas cítricas e vermelhas: laranja, limão, acerola, kiwi, framboesa, morango, amora, mirtilo, etc.;

 Verduras verde-escuras e legumes: agrião, espinafre, couve, brócolis, rúcula, tomate orgânico, cenoura, beterraba, etc.;

 Cereais e sementes: aveia, chia, amaranto, linhaça, arroz integral, semente de girassol, etc.;

Aprecie os temperos naturais: cúrcuma, coentro, gengibre, salsa, tomilho, manjericão, orégano, alecrim.

 

Fonte: Equipe Multidisciplinar |  Gestão de Saúde do Grupo Géia.