Vamos falar de castanhas?

Esse alimento está cada dia mais presente no cardápio da população pelo seu sabor, mas quais os benefícios que esse alimento tão nutritivo pode trazer a nossa saúde?

A castanha faz parte do grupo de oleaginosas, as mais comuns e consumidas, são: castanha do Pará, castanha de caju, nozes, amêndoas, avelã, macadâmia, pistache. São alimentos saborosos e ideais para comer a qualquer momento do dia.

Seja acompanhando saladas, em barrinhas de cereais ou outras receitas, esse mix de “nuts”, também reserva nutrientes poderosos para a nossa saúde. Entre eles, destacam-se o perfil de ácidos graxos, contendo, sobretudo ômega 6, 9 e 3. Possui ainda, altos teores de vitamina E, selênio e fibras alimentares, especialmente as fibras insolúveis.

Por que consumir diariamente?

Ricas em fitoesteróis e tocoferóis, são potentes antioxidantes que auxiliam na redução do LDL-colesterol e pode reduzir, também, o risco de desenvolvimento de canceres como de cólon, mama, próstata e esôfago e por aumentarem as funções imune celular e inibirem a metástase.

As castanhas do Brasil são as melhores fontes de selênio, um mineral que exerce inúmeras funções em nosso organismo, participa de enzimas que podem reduzir o grau de estresse oxidativo, auxilia no metabolismo da glândula tireoide e pode reduzir o risco de câncer, principalmente de próstata.

Além disso, estudos recentes comprovaram, que as castanhas diminuem o risco para o desenvolvimento de doenças neurodegenerativas, como o Alzheimer. O consumo regular contribui para saúde cognitiva, principalmente em idosos.

As oleaginosas são fonte de triptofano, aminoácido precursor do neurotransmissor serotonina, um dos mais poderosos reguladores do humor e do apetite. Por isso, são aliadas das mulheres que enfrentam os sintomas da TPM, pois contribuem para redução da ansiedade, compulsão por doces e irritabilidade.

Contribuem ainda, para saúde intestinal, devido o alto teor de fibras, principalmente as insolúveis, cujo consumo está associado ao aumento do bolo fecal e à prevenção de problemas entéricos.

Quanto consumir?

Recomendação varia de acordo com o objetivo de cada indivíduo, mas para garantir os benefícios, uma porção diária de 30 gramas, ou seja, 1 punhado, para não aumentar muito a ingestão calórica. O consumo de pequenas porções já conferem todos os benefícios mencionados acima, especialmente no período da noite, pois garante melhor absorção e aumento da saciedade.