Falta pouco para acabar o verão, então corra para aproveitar o sol e aumentar os níveis de vitamina D.  Esta vitamina é um pró-hormônio produzido a partir da ação do raio ultravioleta B na pele.

Possui diversas funções importantes, incluindo:

  • Prevenção da osteoporose;
  • Fortalecimento do sistema imunológico;
  • Prevenções de doenças cardiovasculares e neurodegenerativas;
  • Controle de infecções e processos inflamatórios;
  • Melhora da constituição da microbiota intestinal;
  • Possível efeito protetor no desenvolvimento de doenças autoimunes;
  • Suplementação da vitamina D parece ter efeito terapêutico no tratamento de doenças autoimunes;
  • Estudos recentes, demostram que a vitamina D pode prevenir alguns tipos de canceres como câncer de cólon, mama, próstata, carcinoma de células escamosas e osteossarcoma.

Para manter os níveis dentro da normalidade, busque:

  • Expor-se ao sol nos períodos da manhã até ás 10hs e a tarde, após as 16hs com protetor solar no rosto. A exposição de pernas e braços já garante uma boa síntese de vitamina D. Cerca de 80% da fonte desta vitamina é obtida através da pele e não através da alimentação;
  • Alimentos fontes de vitamina D são: óleos de salmão, atum e sardinha, gema de ovo, fígado, leite, iogurte e queijos e há a suplementação em cápsulas, comprimidos e gotas, muito úteis para indivíduos que não tem acesso a exposição dos raios solares diários, pessoas negras e idosos, que possuem a síntese através da exposição UVB diminuída.

Para a suplementação, é necessário avaliação de exames bioquímicos, para um controle dos níveis séricos e não gerar intoxicação e/ou hipercalcemia. O nível sérico desejável para a população saudável é maior que 20 ng/ml.

Em alguns casos de deficiência de vitamina D, o paciente pode ser assintomático. Quando os sintomas aparecem, é importante ficar atento à fadiga, fraqueza muscular e dor crônica.

Por isso mesmo, com o fim do verão, não perca o hábito, mantenha uma rotina de exposição ao sol, nos horários recomendados.