No dia 8 de março de 2018 será comemorado o Dia Mundial do Rim.

 

O que é doença renal crônica?

A doença renal crônica (DRC) é uma perda progressiva na função renal durante um período de meses ou anos.

Cada um dos seus rins tem cerca de um milhão de pequenos filtros, chamados néfrons. Por um tempo, os néfrons saudáveis ​​podem assumir o trabalho extra. Mas se o dano continuar, mais e mais néfrons são desligados.

Depois de um certo ponto, estes néfrons não podem mais filtrar seu sangue o suficiente para mantê-lo saudável. Quando a função renal cai abaixo de um certo ponto, é chamada de insuficiência renal.

Grupos de risco

Alguns pacientes apresentam suscetibilidade aumentada para DRC e são considerados grupos de risco. São eles:

  1. Hipertensos: A hipertensão arterial é comum na DRC, podendo ocorrer em mais de 75% dos pacientes de qualquer idade;
  2. Diabéticos: Os pacientes diabéticos apresentam risco aumentado para DRC e doença cardiovascular e devem ser monitorizados frequentemente para a ocorrência da lesão renal;
  3. Idosos: A diminuição fisiológica da FG e, as lesões renais que ocorrem com a idade, secundárias a doenças crônicas comuns em pacientes de idade avançada, tornam os idosos susceptíveis a DRC;
  4. Pacientes com doença cardiovascular (DCV): A DRC é considerada fator de risco para DCV e estudo recente demonstrou que a DCV se associa independentemente com diminuição da FG e com a ocorrência de DRC;
  5. Familiares de pacientes portadores de DRC: Os familiares de pacientes portadores de DRC apresentam prevalência aumentada de hipertensão arterial, Diabetes mellitus, proteinúria e doença renal.

O que fazer para evitar a Doença Renal Crônica?

A melhor forma de prevenir esta doença que acomete milhões de pessoas no mundo é o seu diagnóstico precoce em pacientes com risco potencial, como hipertensos, diabéticos, idosos, cardiopatas e familiares de portadores de doença renal.

Para os indivíduos saudáveis, as recomendações são:

  • Evitar o consumo exagerado de sal;
  • Não realizar a automedicação;
  • Consumir mais água (pelo menos 2 litros por dia);
  • Controlar o ganho excessivo de peso com práticas saudáveis;
  • Interromper o tabagismo;

 

E para quem já atingiu este estágio, como trata-la:

Não há cura para a doença renal crônica, mas há tratamento que pode retardar ou interromper a progressão da doença, prevenindo outras condições graves se desenvolvam.

Os principais tratamentos são:

Dieta com controle de proteínas, minerais e ingestão de líquidos, e medicamentos adequados, e para aqueles que atingem Doença Renal em estágio final, tratamento de diálise de longo prazo ou transplante de rim.

Nos estágios iniciais da doença renal, uma dieta adequada e medicamentos podem ajudar a manter o equilíbrio no corpo que os rins normalmente controlariam. No entanto, quando se tem insuficiência renal, os resíduos e os líquidos acumulam no corpo e é necessário realizar tratamentos de diálise para remover esses resíduos e excesso de fluido do sangue.

A diálise pode ser feita por máquina (hemodiálise) ou pelo uso de líquido no seu abdômen (peritoneal diálise). Em pacientes elegíveis, um transplante renal combinado com medicamentos e uma dieta saudável podem restaurar a função renal normal.

Mudanças no estilo de vida:

Os pacientes com DRC frequentemente exibem fatores de risco comuns às doenças cardiovasculares e ao Diabetes mellitus; em sendo assim, são mandatórias as seguintes medidas:

  • Interromper o tabagismo, objetivando diminuir a progressão da DRC e reduzir os riscos cardiovasculares;
  • Adequar o peso corporal de maneira a manter o índice de massa corporal entre 18,5 e 24,9 kg/m2 e a circunferência abdominal <102 cm nos homens e <88 cm nas mulheres;
  • Reduzir ou interromper o consumo de álcool, objetivando melhor controle da pressão arterial nos hipertensos;
  • Controlar a ingestão de sal, que não deve ultrapassar 5 g/ dia, prescrever dieta individualizada de acordo com a recomendação nutricional e médica.
  • Praticar exercícios diariamente (caminhada, jogging, bicicleta ou natação), por pelo menos 30 a 60 minutos para os pacientes com DRC e sem contraindicação médica.