Alimentação Saudável

Adotar um estilo de vida mais saudável torna-se fundamental para que a população cresça, desenvolva e envelheça com boa qualidade de vida, que em saúde representa, não somente a capacidade de viver sem doenças, mas também de superar as dificuldades dos estados ou condições de doença. Se alimentar de forma adequada diminui os riscos que uma doença já existente (ex: doenças do coração, obesidade, diabetes…) se agrave, previne doenças, além de proporcionar prazer.

Uma das bases para adotarmos um estilo de vida mais saudável é a alimentação. Quem foi criança há trinta anos atrás ou mais, pode ter passado pela experiência de tomar o café da manhã, um lanche antes do almoço, a tarde um outro lanche para “esperar” o jantar, e ás vezes após o jantar tomar uma xícara de chá ou copo de leite antes de dormir! Somando até seis refeições durante o dia, ou seja, alimentar-se a cada três horas.

A atividade física de forma contínua a orientada também é muito importante na mudança de hábito e melhoria do nosso estilo de vida. E para que isso ocorra de forma adequada, precisamos que o nosso corpo esteja nutrido, e assim possamos atender a demanda de gasto de energia e condicionamento físico.

O recomendado pelo Ministério da Saúde é o consumo de alimentos in natura ou minimamente processados, em grande variedade e frequência, os alimentos processados em média quantidade e os ultra processados esporadicamente ou em pequena quantidade.

Alimentos In Natura ou Minimamente Processados

São alimentos que foram extraídos diretamente da natureza ou que precisaram passar por um processo mínimo de limpeza, de fracionamento, de secagem, embalagem, pasteurização, resfriamento ou congelamento, torrefação, moagem e fermentação, para serem consumidos ou para que possam sem armazenados sem se deteriorar rapidamente.

Exemplo:

Legumes, verduras, frutas, batata, mandioca, arroz branco, integral ou parboilizado;

Milho, trigo, aveia, feijão, lentilha, grão de bico, cogumelos;

Frutas secas, suco de frutas e suco de frutas pasteurizados e sem adição de açúcar ou outras substancias, castanhas, nozes, amendoim e outras oleaginosas sem sal ou açúcar, cravo, canela, especiarias em geral e ervas frescas ou secas;

Farinha de mandioca, de milho ou de trigo e macarrão ou massas frescas ou secas feitas com essas farinhas e água;

Carnes de gado, de porco, de aves, ovos, pescados frescos, resfriados ou congelados;

Leite pasteurizado, ultrapasteurizado (longa vida) ou em pó, iogurte (sem adição de açúcar);

Chá, café, e água potável.

OBS: quanto aos óleos, gorduras, sal e açúcar: quando utilizados em quantidade moderada ou em pequenas quantidades, contribuem para diversificar e tornar mais saborosa a alimentação sem que fique nutricional mente desbalanceada.

Alimentos Processados

São os alimentos fabricados pela indústria com a adição de sal ou açúcar ou outra substância de uso culinário a alimentos in natura para torna-los duráveis e mais agradáveis ao paladar. São produtos derivados diretamente de alimentos e são reconhecidos como versões dos alimentos originais (in natura). São usualmente consumidos como parte ou acompanhamento de preparações culinárias feitas com base em alimentos in natura ou minimamente processados.

Exemplo: Cenoura, pepino, ervilhas, palmito, cebola, couve-flor preservados em salmoura ou em solução de sal e vinagre, extrato ou concentrado de tomate (com sal e/ou açúcar); frutas em caldas, frutas cristalizadas; carne seca e toucinho; sardinha e atum enlatados; queijos; pães feitos de farinha de trigo, leveduras, água e sal.

Alimentos Ultra processados

São formulações industriais feitas inteiramente ou majoritariamente de substâncias extraídas de alimentos (óleo, gordura, açúcar, amido, proteína), derivadas de constituintes de alimentos (gordura hidrogenada, amido modificado) ou sintetizadas em laboratório com base em matérias orgânicas como petróleo e carvão (corantes, aromatizantes, realçadores de sabor e vários tipos de aditivos usados para dotar os produtos de propriedades sensoriais atraentes). Técnicas de manufatura incluem extrusão, moldagem, e pré-processamento por fritura ou cozimento.

Exemplo: Vários tipos de biscoitos, sorvetes, balas e guloseimas em geral, cereais açucarados para o desjejum matinal, misturas para bolos, barras de cereal, sopas de saquinho, macarrão e temperos instantâneos, molhos, salgadinhos de pacote, refrescos e refrigerantes, iogurtes e bebidas lácteas adoçados e aromatizados, bebidas energéticas, produtos congelados e prontos para aquecimento como massas, pizzas, hambúrgueres, empanados, salsichas, pães de pacotes etc.

Há muitas razões para evitar e ou consumir de forma moderada esses tipos de alimentos. Normalmente não nos trazem nenhum benefício nutricional, ou quando trazem os benefícios são mínimos e não atingem a quantidade suficiente para nutrição adequada, são desbalanceados. Outro fator é que nos proporciona acúmulo de calorias levando a obesidade e consequentemente outras doenças. Além do impacto ambiental, pois na maioria das vezes esses alimentos são embalados em materiais que não são biodegradáveis.

Recomendação

Faça de alimentos in natura ou minimamente processados a base de sua alimentação! Esses alimentos proporcionam nutrição balanceada, saborosa, prazerosa e são culturalmente apropriados e promovem um sistema alimentar socialmente e ambientalmente sustentável.

“ Geralmente o problema não está no que comemos, e sim no que não comemos! ”