Desde a sua descoberta, em 1981, o HIV/AIDS matou mais de 25 milhões de pessoas. O vírus enfraquece o sistema imunológico do corpo gradualmente, geralmente durante um período de até dez anos após a infecção. A AIDS (Síndrome da Imunodeficiência Adquirida) atinge indiscriminadamente homens e mulheres e tem assumido proporções assustadoras desde a notificação dos primeiros casos, no início da década de 80, nos Estados Unidos. Apesar de não ter cura, hoje já se sabe que é possível viver bem, mesmo com o vírus da AIDS. O segredo para evitar a doença: Informação e prevenção.

O que é a AIDS?

A AIDS é um conjunto de sintomas que indica ineficiência da capacidade de defesa do organismo contra doenças.

O vírus que causa a AIDS é o HIV (Vírus da Imunodeficiência Humana). Ele destrói as células de defesa mais importantes do organismo, deixando o indivíduo sujeito a uma série de doenças e infecções, que o levam à morte.

Transmissão:

O vírus da AIDS é transmitido de várias formas:

  • Em relações sexuais com pessoas contaminadas
  • Em transfusão de sangue e seus derivados contaminados
  • No uso de agulhas e seringas que contenham sangue contaminado
  • De mãe infectada para o filho, durante a gestação, parto ou amamentação.

O que não transmite AIDS:

  • Compartilhar roupas, camas, vasos sanitários, copos, pratos e talheres, ou nadar na mesma piscina.
  • Abraçar ou beijar a pessoa contaminada
  • Por meio de picadas de insetos
  • Através de tosse, espirro, suor, lágrima e alimentos.

Sintomas:

  • Febre persistente
  • Diarréia prolongada
  • Manchas na pele
  • Cansaço fácil sem causa aparente
  • Emagrecimento inexplicável
  • Infecções “oportunistas” (exemplo: pneumonia)
  • Câncer de pele
  • Ínguas
  • Monilíase (sapinho) oral

Ao sentir alguns dos sintomas acima, procure um médico.

Testes:

  • Imunoenzimático (ELISA)
  • Imunofluorescência Indireta (IFI)
  • Western Blot (WB)

Todos os testes são altamente eficientes no diagnóstico da infecção pelo HIV, desde que realizados com material de boa qualidade e por pessoas adequadamente treinadas. O teste mais realizado é o ELISA.

Como a doença se desenvolve:

Quando o organismo é infectado pelo vírus HIV, começa a produzir anticorpos que poderão ser detectados, em média, e meses após o contágio.

Antes desse período, apesar dos testes serem negativos, as pessoas podem transmitir o vírus.

É a chamada janela imunológica. Existe um período variável entre a contaminação e o início dos sintomas. Não se pode prever qual vai ser a evolução da infecção, nem quanto tempo vai levar, pois isso varia muito de pessoa para pessoa.

Tratamento:

Desde o aparecimento da AIDS, muitos medicamentos tem sido testados, mas ainda não foi encontrada a cura definitiva para a doença. Drogas como o AZT, DDI, DDC, 3TC, D4T, inibidores de protease, etc. tem a função de impedir a multiplicação do vírus no organismo. As doenças oportunistas, causadas por outros vírus, tais como herpes e hepatite, também devem ser tratadas.

Como lidar com o doente?

Todo portador do HIV e todo doente com AIDS tem direito a: freqüentar escolas e alojamentos; ter emprego e receber tratamento médico, além de respeito e apoio da família. A solidariedade é a principal atitude de alguém que convive com a pessoa portadora de HIV. Como o contágio só acontece em situações específicas, nada deve impedir que o doente receba todo cuidado, carinho e atenção que merece.

Hoje, com a evolução dos tratamentos da AIDS, a qualidade de vida dos portadores do HIV tem se tornado cada vez melhor.

Como prevenir?

  • Usando camisinha em todo e qualquer tipo de relação sexual, seja vaginal, oral ou anal
  • Usando seringas e agulhas descartáveis ou devidamente esterilizadas
  • Exigindo sangue analisado por exames de laboratório nas transfusões
  • Esterilizando ferramentas médicas, odontológicas e de tatuagem
  • Realizando a devida higiene de aparelhos de manicure, acupuntura, ET.
  • Tratando adequadamente doenças sexualmente transmissíveis, ferimentos ou infecções nos órgãos sexuais, que aumentam as chances de contágio
  • Realizando teste pré-natal: toda mulher grávida deve ser orientada para fazer o teste de AIDS durante os exames de pré-natal. O AZT, quando usado a partir da 14ª – 16ª semana de gestação na mulher HIV positivo, reduz o risco de contaminação para o bebê.

Fonte: Central Nacional Unimed